Dicas de saúde

1152
Pilates ajuda a melhorar a postura corporal.

O ser humano, em sua maioria, possui o hábito de sentar errado. Seja pela pressa de fazer as coisas ou a falta de atenção com a postura. Muitas vezes, durante o trabalho, me pego tentando manter a coluna ereta na cadeira, porém, é difícil manter a mesma posição por muito tempo, diria praticamente impossível. Sei que é errado e pode causar problemas futuramente. Mas como solucionar esse mau hábito?

Exercícios específicos para melhorar a sua postura corporal.
Exercícios específicos para melhorar a sua postura corporal.

A resposta veio em conversas com amigos que comentaram que suas mães ou parentes começaram a fazer um trabalho para corrigir a postura e melhorar a qualidade de vida. Lembro que, de início, achei engraçado o nome e nunca tinha ouvido falar sobre Pilates, ainda mais Pilates para correção postural. Contudo, após uma rápida pesquisa sobre o tema, passei a conhecer melhor a sua técnica e os benefícios que ela proporciona para o corpo. Algo muito interessante mesmo e passei a me interessar.

Quem pode realizar ou procurar as aulas de Pilates

Durante as minhas pesquisas para me inteirar mais sobre o assunto, pude perceber que as aulas são perfeitas para todas as pessoas. Isso me chamou bastante a atenção, a sua diversidade e possibilidade de atender a todo mundo. Aquelas como eu que buscam o Pilates para correção postural, tem as que querem melhorar a sua saúde e a qualidade de vida, pessoas com hérnia de disco, aqui vale salientar, que será necessário fazer uma aula especifica para cada patologia ou dor para não agravar, mas pelo contrário, melhorar a sua autoestima e estabilizar ou até mesmo dar uma melhorada em seu incômodo.

Corcunda de Notre-Dame, não!

A técnica de Pilates para correção postural ajuda a pessoa, através de exercícios funcionais e movimentos, a melhorar ou corrigir a sua postura, tudo programado por especialistas e de acordo com a sua necessidade. Muito importante para a sua aparência e bem estar. Afinal, ninguém quer ficar parecendo o Corcunda de Notre- Dame né? Nada contra ele, até gostava do desenho e o achava simpático, mas pera aí, não é legal ficar andando curvado, além de ser prejudicial para você futuramente, principalmente, quando chegar a terceira idade, quando a força muscular diminui bastante.

Melhorias na autoestima e no trabalho

Após algumas aulas, comecei a sentir uma melhoria considerável na minha postura e consequentemente no meu desempenho no trabalho. Com a postura mais reta, consegui me concentrar mais, aquela dor nas costas que sentia quando ia agachar ou quando me levantava, depois de horas sentado diminuíram consideravelmente. Mas eu sei, que não posso acomodar e achar que está tudo certo, que não está. Ainda preciso e de longe não pretendo largar as aulas, pois acredito ter encontrado um ótimo meio de me sentir bem comigo mesmo, o que a academia já não estava mais fazendo comigo.

Reflexos do Pilates, no dia a dia do trabalho e na autoestima.
Reflexos do Pilates, no dia a dia do trabalho e na autoestima.

Mas se engana, quem pensa que Pilates para correção postural melhora só a postura corporal em si. Essa técnica, através de suas aulas, ajuda também no trabalho da mente e da respiração. Ideal para se utilizar durante o dia a dia nas grandes cidades e do trabalho. Dois lugares, onde tem mais estresse que podem causar problemas de saúde para as pessoas. Isto foi outra mudança que senti comigo, eu andava um pouco estressado e sem paciência, contudo após as aulas, passei a respirar e trabalhar mais a mente, antes de agir por impulso e cometer algum erro bobo que poderia ser facilmente evitado.

1128

Desde novinha, eu já sabia o que queria: cuidar de pessoas que estivessem com dor. EU tinha isso muito claro na minha cabeça, e acho que foi porque minha avó tinha muitos problemas no sangue e nos ossos. Vivia com dor, coitadinha. E por isso, acabou tendo um passamento muito sofrido. Aquilo me impactou muito. Não a vi falecer, mas vi quando a levaram para o hospital poucos dias antes, e ela sofria muito. “Vou ser médica e vou curar a dor de todo mundo!”, dizia eu, aos 5 anos de idade.

Professora mostra exercício para pilates
Professora mostra exercício para pilates.

E lá fui eu ficar maiorzinha, estudar muito, sempre pensando no curso de Medicina. E cresci o suficiente para tentar entrar em uma boa universidade e me tornar uma ótima médica. Podia seguir na anestesiologia ou na reumatologia! Aquilo me animava. Mas o tempo passava e eu não conseguia nota para entrar numa boa Medicina. Mas na terceira chance, consegui vaga para um excelente curso de Fisioterapia. Confesso que não fiquei muito empolgada, mas vi ali a chance de ajudar a amenizar a dor de muitos pacientes. Quem sabe poderia abrir uma clínica especializada, com pilates e massagens terapêuticas? Respirei fundo, fiz o sinal da cruz e fiz minha inscrição.

Eita aperto!

Cruzes, como sofri no curso!! A gente vê o fisioterapeuta atuando e pensa que aquilo tudo ali é tão fácil de fazer, tão intuitivo… que nada… Nas aulas de anatomia, levei duas semanas até parar de desmaiar com o cheiro do formol dos cadáveres – ou seja, foram duas semanas em que praticamente não tive aula de anatomia, já que nem conseguia me manter acordada! Mas a visão não me chocava em nada, realmente. Mas era cada nome de estrutura pra decorar… Jesus…

E nas aulas de neurologia, então?? “Hoje vamos estudar as células de Purkinje”, disse o professor. “Como é que é, camarada?? Quem é esse cara e por que pegaram as células dele?”. E aprendi que existem vários tipos de neurônios e cada um com uma função e funcionalidade específicas, formatos diferentes, patologias específicas (aliás, estudar patologia é outra aventura)… Eu olhava praquilo e ficava perdida! Mas quando via a mesma cara de assustado nos meus colegas, eu ficava tranquila. Me sentia menos tapada. E ficava imaginando como seriam aquelas mesmas disciplinas no curso de Medicina… Eu hein? E a clínica de pilates e massagem me parecia cada vez mais atraente.

Com muito esforço, eu consegui ir galgando meu caminho por dentro do curso – e ainda encontrava tempo para participar de um congresso aqui, um simpósio ali, um seminário sobre dor acolá… O tempo foi passando no ritmo dele e eu fui aprendendo no meu. É engraçado, mas o curso parecia ir ficando mais fácil à medida em que avançava. Meu orientador diz que é porque os termos já estavam familiares pra mim, e já não precisava me lembrar sobre suas definições quando uma outra matéria os convocava. Gostei de ouvir aquilo.

Formei!!

Uhuuu! Me formei!! Mas nem sabia por que estava comemorando, afinal o mercado de trabalho estava uma dureza danada. Teria problemas pra começar a trabalhar. E de fato, forma muitos meses até que uma clínica de pilates me chamasse pra uma entrevista. Na verdade, ela foi uma das primeiras onde deixei meu currículo, mas o quadro estava todo preenchido e não teve jeito de me absorverem. Só me chamaram tanto tempo depois porque uma massagista havia se mudado de cidade e a vaga ficou em aberto. “Massagista… sei…”. Pensei comigo: cinco anos de curso superior pra ir trabalhar e massagista?

Alunos fazem trabalho com bola, durante aula de pilates
Alunos fazem trabalho com bola, durante aula de pilates.

Pois é. Eu tinha um baita preconceito, mas hoje eu sei como a coisa funciona. Massagem não é carinho, muitas vezes ela é solução pra dor, solução pra inchaço, solução pra pós-operatório. E fui ficando. De vez em quando substituía a gerente no pilates – e mandava bem! Com quase dois anos, participava e atendia ativamente aos dois serviços, e os clientes em geral me elogiavam. Antes de completar dois anos e meio, ela me convidou para ser sócia numa nova unidade que ela ia abrir. Recuei. Meu negócio é atender pessoas com dor, e não tenho perfil de investidora nem administradora. Mas segui com ela – e com meus pacientes queridos, que sempre me procuram quando sentem dores!

AMO essa profissão!

1326

O pilates, uma prática esportiva que surgiu no comecinho do século XX e que foi inventada pelo alemão Joseph Pilates, é uma das técnicas mais benéficas para a saúde, tendo inúmeras vantagens e atributos para quem deseja ter um corpo mais bonito, mais dinâmico, mais flexível e melhor. Não à toa, inúmeras pessoas têm aderido à prática, que se tornou tão popular que vários estúdios e escolas dedicadas a ela foram criadas ao longo das últimas décadas.

No entanto, muitos acreditam que só basta praticá-lo duas ou três vezes por semana e os resultados, que podem realmente ser muito grandes, virão sem dificuldade. E isso não é verdade. Assim como qualquer outro tipo de ginástica, essa modalidade esportiva depende que a pessoa mude seus próprios hábitos – desde a alimentação e o consumo de bebidas até a organização de horários e agendas saudáveis –, inclusive fora das salas de aula, de modo a ter o máximo de impactos e melhorias na saúde.

Afinal de contas, o pilates não faz milagres. Sozinho, pelo menos. Ele é apenas um exercício físico, que precisa estar enquadrado num modo de vida muito mais amplo e focado no bem-estar do corpo, da alma e da mente. Assim, se você realmente quer melhorar sua saúde e já está praticando o pilates, confira a seguir dicas para você aplicar em seu dia a dia!

Foco na alimentação e no consumo consciente de bebidas

GemüseSem dúvidas, a primeira dica está naquilo que você come ou bebe. Afinal, são os alimentos e as bebidas quem mais influencia na vida e no condicionamento físico de uma pessoa. Antes de mais nada, tenha em mente que nada é completamente proibido (ninguém consegue sobreviver comendo apenas frango grelhado com alface), mas há produtos que devem ser mais evitados e há também os que devem ser mais consumidos.

Priorize, por exemplo, verduras, legumes, frutas e vegetais. É bom consumir uma variedade grande e complexa desses itens ao longo da semana, alternando-os em relação a sua cor e ao seu método de preparo. Em um dia, coma brócolis, rúcula ou vagem; em outro, coma cenouras, beterrabas e rabanetes; em outro, coma chuchu, repolho, quiabo…

Outros produtos que devem ser inseridos na rotina são os produtos integrais. Prefira-os em detrimento dos açúcares brancos, como pães, arroz e macarrão convencional. Os alimentos integrais trazem saciedade maior ao organismo e ainda são ricos em fibras, o que é ótimo para quem precisa de uma atividade intestinal mais ágil e dinâmica.

Agora, quanto aos produtos que devem ser evitados, estão as frituras, os refrigerantes, os sucos industriais, os embutidos, a carne vermelha em excesso e as bebidas alcoólicas. Quanto a esse último grupo, é importante saber que há bebidas que são boas para a saúde, como o vinho (extremamente benéfico para o coração), mas sua ingestão deve ser controlada e limitada.

Horários definidos e saudáveis

Pessoa comendoAssim como você tem horário para ir ao pilates, para chegar no trabalho e para assistir a uma peça de teatro, seu estômago também deve ter uma agenda organizada e certinha. Não basta apenas comer coisas saudáveis, tem que comer com regularidade, de preferência de três em três horas.

Habitue-se a ter um lanche sempre por perto (como uma fruta ou uma barra de cereais) e a não postergar ou mesmo cortar o almoço. Isso evita que você fique com fome e, assim, coma muito na refeição seguinte e, mais ainda, isso impede que o corpo entre na reserva de energia, armazenando calorias e dificultando o emagrecimento.

Um dia a dia menos estressado

Pessoa dormindoEngana-se quem pensa que a saúde física depende apenas do corpo. A mente e o humor também são determinantes para a qualidade de vida de qualquer pessoa. Assim, além de se alimentar bem e com regularidade, a pessoa precisa dormir pelo menos oito horas por dia, evitar atividades muito desgastantes (como ficar no emprego até altas horas da noite), divertir-se com os amigos ou com a família e buscar o equilíbrio espiritual, através da meditação, de alguma fé ou de alguma religião.

Se a pessoa começar a investir mais em sua motivação interna, com certeza ela estará mais apta e fortalecida a enfrentar os problemas, as obrigações e a rotina como um todo. Dessa forma, ela estará menos sujeita a doenças e até mesmo a crises psicológicas, que afetam toda a saúde.

Exercícios complementares

Mesmo que o pilates já seja uma atividade física completa e bastante benéfica, não basta apenas praticá-lo para você atender às necessidades de esporte. Alguns hábitos precisam começar a ser introduzidos paralelamente ao pilates, como caminhadas constantes, subir e descer escadas a pé (no metrô ou no prédio), fazer uma academia e até mesmo uma arte marcial.

São com essas dicas que qualquer pessoa pode ganhar o máximo de saúde e se beneficiar com a influência positiva do pilates, sem frustração e com os melhores resultados possíveis.