A nova geração de gestantes

A nova geração de gestantes

800

No tempo das nossas avós, a gravidez não era vista como é hoje. As grávidas eram tratadas como chinesinhas de porcelana finíssima que podia se quebrar até com o esbarrar de uma pétala. O trabalho doméstico era dividido entre as outras pessoas da casa (fatalmente, outras mulheres… aqueles eram outros tempos…), as gestantes eram proibidas de pegar peso ou de fazer faxina muito pesada. Haviam crendices como evitar lavar os cabelos com frequência, tomar leite morno recém-tirado das vacas, evitar dormir como marido, etc. Exercícios? “Nem pensar! Grávida Não pode fazer esforço, tem que descansar até o dia do parto! Deixa ela quieta!”

Não é que dava tudo errado, mas com certeza alguns partos poderiam ter sido mais bem-sucedidos – e até mais rápidos – se as gestantes tivessem podido pelo menos se exercitar um pouco. Algumas caminhadas, ao menos, para fortalecer os músculos das pernas, da barriga e das costas (para segurar e equilibrar melhor o corpo). Mas com o tempo e o avanço da medicina, os próprios médicos foram mudando a maneira das gestantes e de suas famílias enxergarem a gravidez. As vantagens da realização de atividades físicas condizentes com cada fase da gravidez foram se tornando cada vez mais evidentes e o resultado é o que se vê hoje: gestantes fazendo caminhadas (algumas até correm), ginástica e até Pilates para gestantes nas academias especializadas. Muitas avós mais moderninhas acham isso tudo um barato mas outras com certeza ainda ficam horrorizadas!

Vestidas para malhar

As-gestantes-de-hoje-em-dia,-têm-mostrado-uma-rotina-bastante-saudável-para-fazer-todas-as-suas-tarefas.Não, as grávidas de hoje não se parecem mais com aquelas de antigamente. O ritmo frenético em que estavam antes da gestação continua até onde der: ainda vão trabalhar, ainda cuidam da casa, do marido e dos filhos (se já tiverem), ainda discutem com prestadores de serviço, reclamam da política atual, saem nas manifestações, vão sozinhas ao supermercado, dirigem para todos os lados… E cuidam tão bem do corpo que algumas só aparentam ser gestantes nos últimos dois meses!

A preocupação que viralizou por aí e que se tornou característica dos tempos atuais – o culto ao corpo – acabou atingindo estas mulheres que passam por essa fase tão especial da vida. Para algumas é terrível parecer grávida, pois gestação, para elas, é sinônimo de mulher gorda, empanturrada de comida e que não cabe em roupa nenhuma. Então, uma das primeiras providências que tomam é procurar o personal da academia de ginástica (que elas provavelmente já frequentam) e conversar sobre este novo momento e quais seriam os exercícios mais indicados. Para evitar riscos, em geral prefere-se a hidroginástica ou o Pilates para gestantes, cujos impactos podem ser melhor acompanhados e programados.

Saindo da academia, o próximo passo é procurar uma boa loja de roupas esportivas e comprar alguns conjuntos para usar durante a gestação, já que uma hora a barriga vai aparecer e não vai caber nos modelitos atuais. Em geral, as grávidas ficam mais confortáveis em conjuntos de malha de algodão, ou a dupla infalível leg + camisão folgado. Para a hidroginástica, não faltam maiôs normais oi maiôs de shortinho (aquele com pernas), com costura especial na região da barriga para que ela caiba sem ser comprimida.

Acessórios especiais

Independente da prática esportiva ou não, uma coisa comum a todas as gestantes é a dificuldade em sustentar o peso da barriga e em encontrar o novo ponto de equilíbrio. Afinal, nove meses pode parecer muito tempo, mas para o organismo é muito pouco. O crescimento é mais rápido do que a pele, por exemplo, está acostumada. A coluna e a musculatura toda precisa se adaptar diariamente à nova condição, e isso é uma tarefa árdua.

É-importante-a-gestante-utilize-acessórios-como-forma-de-aprimoramento-do-corpo-e-costume-as-suas-transformações.Por isso, o próprio mercado da moda, em união com obstetras e fisioterapeutas, criou alguns acessórios que podem ajudar muito no restabelecimento do equilíbrio e da postura correta. Uma delas são as lingeries especiais. A calcinha tem o cós bem alto para abraçar toda a barriga e, em alguns modelo, há uma faixa de tecido elástico posicionada de maneira que passe por debaixo da barriga e suba pelas laterais do corpo até as costas. É como se ela fosse uma cinta que sustenta a barriga.

Quem não gosta desse tipo de lingerie, pode contar com esse mesmo recurso, mas dessa vez a faixa compõe o visual da roupa. É uma faixa elástica (que pode ser colorida ou estampada) que se coloca sobre a cintura da calça (jeans, leg, tanto faz). A função dela é a mesma: ajudar a sustentar o peso da barriga. Com o peso dela sob controle, a postura fica mais reta e a coluna sofre menos sobrecarga.

Mas nada disso tira a importância dos exercícios – afinal, um corpo exercitado é muito mais forte e poderá, até, dispensar acessórios auxiliares como esta faixa. A musculatura treinada dará conta do recado, mantendo a postura do jeito certo e conservará a saúde da grávida.

E quando olhamos para algumas décadas atrás e vemos como as coisas eram, paramos para: “como elas faziam??”

Comentários no Facebook